EM BREVE!

EM BREVE!
DIA 10 DEZEMBRO EM CHORROCHO-BA

quarta-feira, dezembro 07, 2016

AGENCIA DOS CORREIOS DE RODELAS-BA É ASSALTADA.


A agência dos Correios de Rodelas, localizada na Avenida Manoel Moura ,51 centro ,foi assaltada na manhã  desta quarta-feira (07), por volta das 12;30h; quando dois homens armados invadiram  o local, renderam  o funcionário e fugiram com o dinheiro do caixa.
Segundo informações de populares os ladrões  após o roubo saíram  em uma moto  pelas ruas da cidade.
O valor roubado não foi divulgado

A qualquer momento maiores informações

Sertão Mania

PROVANDO DO VENENO- POPULAÇÃO JOGA LIXO NA CASA DO PREFEITO.

Camaçari: População joga lixo na porta da casa do prefeito

Moradores de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador, jogaram lixo na frente da casa do prefeito Adelmar Delgado (PCdoB). A residência do gestor, que fica em Arembepe, foi alvo da ação na tarde desta terça-feira (6). Conforme informações do Bahia no Ar, a cidade está há três dias sem coleta de lixo, e informações preliminares indicam que a empresa que presta o serviço público não tem recebido pagamento da prefeitura. Um grupo de moradores chegou a compartilhar uma imagem da prefeitura com um recado: “Natal sem lixo Camaçari. Jogue seu lixo na prefeitura, já que Ademar não limpa”. Até o momento, a prefeitura não se pronunciou sobre o caso.

Bahia Noticias

terça-feira, dezembro 06, 2016

QUEM MANDA É NOS!SENADO DECIDE DESCUMPRIR LIMINAR PARA AFASTAR RENAN.

Resultado de imagem para SENADORES RINDO DA JUSTIÇA

A mesa Diretora do Senado decidiu nesta terça-feira (6) que aguardará a deliberação do plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) para cumprir a decisão liminar (provisória) do ministro Marco Aurélio Mello de afastar o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), do comando da Casa.
A decisão foi tomada durante uma reunião entre os integrantes da Mesa com Renan (saiba o que políticos disseram sobre a decisão).

Senadores que participaram do encontro disseram que o peemedebista acredita ter respaldo jurídico para não assinar a notificação sobre a decisão de Marco Aurélio Mello, que ordenou o afastamento do senador do PMDB do comando do Senado. Segundo o Blog do Camarotti, o presidente Michel Temer telefonou para Renan manifestando solidariedade.
Dez minutos depois de anunciar a decisão de aguardar o plenário do STF, a Mesa Diretora do Senado divulgou uma segunda versão, com uma alteração no texto.
O segundo texto é assinado por todos os integrantes da cúpula do Senado, inclusive pelo senador Jorge Viana (PT-AC), primeiro-vice-presidente da Casa, e que assumirá o comando do Senado caso Renan venha a ser afastado definitivamente da presidência.
No primeiro texto, o artigo 1º afirmava: "Art. 1º: Aguardar a deliberação final do Pleno do Supremo Tribunal Federal, anteriormente a tomada de qualquer providência relativa ao cumprimento da decisão monocrática em referência". No segundo, diz apenas: "Art. 1º: Aguardar a deliberação final do Pleno do Supremo Tribunal Federal" (veja a reprodução do segundo documento abaixo e, do primeiro, ao final desta reportagem).

Documento assinado pela Mesa Diretora do Senado em que o Senado decide descumprir ordem judicial do ministo Marco Aurélio Mello (Foto: Reprodução/Senado).

Documento assinado pela Mesa Diretora do Senado em que o Senado decide descumprir ordem judicial do ministo Marco Aurélio Mello (Foto: Reprodução/Senado)

stratégia

A decisão de não cumprir a liminar faria parte de uma estratégia do peemedebista para se manter na presidência do Senado até o STF julgar seu recurso contra a decisão de Marco Aurélio, o que está previsto para acontecer nesta quarta-feira (7).
Senadores que participaram do encontro com o peemedebista afirmaram que o aconselharam a cancelar a sessão de votações desta terça-feira e aguardar a decisão do Supremo sobre o recurso para retomar as votações.
A sessão do Senado desta terça foi cancelada, bem como a sessão conjunta do Congresso Nacional e um tradicional jantar de confraternização natalina da Casa que estava marcado para esta noite na residência oficial do peemedebista.
Após a divulgação da nota e de uma entrevista coletiva a jornalistas no Senado, Renan Calheiros deixou as dependências da Casa e retornou à residência oficial.
Desde 9h desta terça, um oficial de Justiça aguardava em uma antessala da Presidência do Senado para entregar a notificação ao peemedebista. Ele deixou o Senado seis horas depois, por volta das 15h, sem entregar o documento ao senador. Nesta segunda-feira (5), à noite, Renan também não recebeu o oficial para assinar o documento.
Senadores ouvidos pelo G1 divergem sobre quem, neste momento, é o presidente do Senado. Segundo a assessoria da Casa, enquanto não há decisão do plenário do STF, o Senado considera que o presidente é Renan Calheiros.
Além da decisão de não cumprir a liminar, a Mesa Diretora também decidiu conceder prazo para que Renan apresente defesa, a fim de viabilizar a deliberação da Mesa sobre as providências necessárias ao cumprimento da decisão monocrática em referência.
O Senado entrou nesta terça com um recurso contra a decisão de Marco Aurélio Mello e com ação para pedir a suspensão da liminar.

G1

BR 116 NO SERTÃO DA BAHIA, A BR DO ABANDONO E DA MORTE!



Essa é atual situação de um dos trechos da maior BR do Brasil, a 116. Esse trecho fica entre o povoado de Formosa(Macurure) a Bendengo(Canudos) no sertão da Bahia.
Segundo um internauta, esta chegando à época dos altos índices de acidentes. “Os acidentes que já são frequentes, tende a aumentar com a proximidade do final do ano, período que nossos irmãos nordestinos costumam visitar sua terra natal.” Relatou um morador de Formosa.
A ultima manutenção na BR 116 no trecho citado a cima, foi a mais de dois anos.
Além dos inúmeros buracos na 116, esse trecho também é conhecido pelos caminhoneiros, como a BR mais perigosa do pais, chamada ate, de “Faixa de Gaza ou trecho da morte”! Os números de latrocínios, roubo seguido de morte, são “gritantes” segundo informações.





Imagens Facebook George Barreto


IMPASSE NO PROUPE: GOVERNO DE PERNAMBUCO REJEITA DIÁLOGO COM AUTARQUIAS.


Treze presidentes das Autarquias Municipais de Ensino Superior, instaladas em Pernambuco, estiverem nesta terça-feira (6), na capital do Estado, Recife, para participarem de mais uma rodada de conversas sobre o atraso nos repasses do Programa Universidade para Todos em Pernambuco – PROUPE.


Os presidentes, através da Assiespe, também tentaram se reunir com representantes do governo estadual, mas não foram atendido. “Mais uma vez chegamos ao final do ano e a grande incerteza é quando e como cumpriremos com as nossas obrigações com os pagamentos dos salários de novembro e dezembro e o 13° dos servidores públicos e os prestadores de serviços, com as obrigações sociais”, comentou a professora Ana Gleide Souza Leal, presidente da Autarquia de Belém do São Francisco.
Também estavam representadas as autarquias de Petrolina, Afogados da Ingazeira, Arararipina, Arcoverde, Belém do São Francisco, Belo Jardim, Cabo de Santo Agostinho, Garanhus, Goiana, Limoeiro, Palmares, Salgueiro e Serra Talhada. Segundo o presidente da Associação das Instituições de Ensino Superior do Estado de Pernambuco (ASSIESPE), Rinaldo Remígo, os atrasos nos pagamentos já somam um valor de R$ 4 milhões e acarretam acúmulos de despesas com folha de pagamento e manutenção básica das instituições de ensino.

O PROUPE é um recurso, destinado a Autarquias Municipais, que oportuniza através de bolsas de estudo o ingresso de pessoas de baixa renda nas instituições de ensino superior. Desde 2015 a oferta de bolsas caiu cerca de 50% e hoje o número de beneficiados chega a 7 mil estudantes, esse número era de mais de 14 mil.

Para Simão Rosembaum, presidente da Autarquia de Goiana, o Governo do Estado tem virado as costas para as Autarquias Educacionais. Ele conta que as Instituiçoes não recebem os repasses desde setembro e que os salários de funcionários contratados e cargos comissionados estão atrasados.
As tentativas de se reunir com o Governo do Estado, para sanar o impasse, se arrastam pelos últimos seis meses, conta o presidente da ASSIESPE.


Rinaldo Remígio destaca ainda o empenho que os presidentes estão oferecendo para regularizar os pagamentos. “O que nos entristece é que estamos vindo de todas as regiões do Estado. Somos professores que representam mais de 20 mil alunos e não fomos atendidos porque estavam no horário de almoço”, lamenta Remígio.

segunda-feira, dezembro 05, 2016

OFICIAL- CHAPECOENSE É DECLARADO CAMPEÃO DA SUL-AMERICANA.


A Conmebol declarou, na tarde desta segunda-feira (05), a Chapecoense campeã da Copa Sul-Americana de 2016. O time catarinense disputaria a final do torneio continental com o Atlético Nacional, da Colômbia, mas o acidente aéreo da última terça impediu a realização do confronto.

Em decorrência do título, a Chape conquista vaga na fase de grupos da Libertadores de 2017 e arrecada prêmio de 2 milhões de dólares (aproximadamente R$ 7 mi). Também se classifica para a disputa da próxima Recopa Sul-Americana, na qual enfrentará justamente o Atlético Nacional, totalizando mais US$ 2,8 milhões garantidos (quase R$ 10 milhões).

"Nós vamos ter muitas competições para disputar agora e uma premiação que vai ajudar bastante na reconstrução. Vamos jogar o Estadual, a Libertadores, o Brasileiro, a Copa do Brasil, a Copa Suruga e a Recopa. São muitas competições que a gente precisa se planejar para jogar", disse Tozzo em entrevista coletiva.

Além disso, o dirigente informou que a CBF vai fazer uma doação de R$ 5 milhões para ajudar a equipe. Um amistoso entre a seleção brasileira e a Colômbia também está planejado.

Mais cedo, em nota oficial, a Conmebol havia confirmado a premiação para a Chapecoense. "A Confederação Sul-Americana de Futebol confirma que o conselho da Conmebol, em sua qualidade de autoridade permanente encarregada de cumprir os Estatutos da Instituição decidiu declarar a Associação Chapecoense de Futebol campeã da edição 2016 da Copa Sul-Americana", atesta informa da entidade.

No texto, a Conmebol afirma que o pedido feito pelo Atlético Nacional foi decisivo. Já na terça, poucas horas após o acidente, o próprio Atlético Nacional sugeriu tal desfecho: em carta, pediu para que o clube brasileiro fosse considerado campeão.

"Além de estarmos muito preocupados com o lado humano, pensamos no aspecto competitivo e queremos publicar este comunicado onde o Atlético Nacional convida a Conmebol para que entregue o título da Copa Sul-Americana à Chapecoense como uma homenagem à sua grande perda e homenagem póstuma às vítimas fatais do acidente que deixa nosso esporte de luto. Da nossa parte, para sempre, Chapecoense campeã da Copa Sul-Americana de 2016", dizia a petição.

A Conmebol também informou que entregará o prêmio "Centenário Conmebol de Fair Play", que vale um milhão de dólares (aproximadamente R$ 3,5 mi), ao Atlético Nacional.

A final da Sul-Americana seria a primeira decisão internacional da história da Chapecoense. Na próxima temporada, a equipe estreará em Libertadores.

O desastre aéreo vitimou 71 das 77 pessoas que estavam no voo saído de Santa Cruz de la Sierra, cidade boliviana, rumo a Medellín, na Colômbia. Dezenove jogadores da Chape morreram no acidente, além de integrantes da diretoria e da comissão técnica - entre eles o treinador Caio Jr. Três dos sobreviventes são atletas do clube: o goleiro Jackson Follmann, o lateral Alan Ruschel e o zagueiro Neto.

Confira a nota da Conmebol na íntegra
A Confederação Sul-Americana de Futebol confirma que o conselho da Conmebol, em sua qualidade de autoridade permanente encarregada de cumprir os Estatutos da Instituição decidiu declarar a Associação Chapecoense de Futebol campeã da edição 2016 da Copa Sul-Americana, assim como declarar o Atlético Nacional o reconhecimento extraordinário do prêmio "Centenário Conmebol de Fair Play.

1. Na quarta (30 de novembro). a Confederação Sul-Americana de Futebol recebeu uma carta do Club Atlético Nacional, dirigida ao senhor Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol, convidando a Conmebol a "entregar o título da Copa Sul-Americana à Associação Chapecoense de Futebol como homenagem "à sua grande perda e homenagem póstuma às vítimas fatais do acidente que enluta nosso esporte".

2. Em decorrência disse, o Conselho tomou a decisão de nomear a Associação Chapecoense de Futebol como Campeã da Copa Sul-Americana de 2016 com todas as prerrogativas esportivas e econômicas que do título decorrem.

3. Para a Conmebol, não há maior mostra do "espírito de paz, compreensão e jogo limpo", enunciado como objetivo da nossa Instituição, que a solidariedade, compreensão e respeito exibido pelo Club Atlético Nacional de Colombia com seus irmãos da Associação Chapecoense de Futebol do Brasil.

4. Em razão da petição realizada pelo Club Atlético Nacional, que com sua atitude promoveu o espírito de paz, compreensão e jogo limpo, e em busca de que os valores esportivos prevaleçam sempre sobre os interesses comerciais, o Conselho decidiu por vez declarar o Club Atlético Nacional com o prêmio "Centenário Conmebol de Fair Play", que consistente em soma de um milhão de dólares.

UOL

AVIÃO COM XUXA SOFRE PANE NO AR.

Resultado de imagem para aviao xuxa

Um avião no qual estava a apresentadora Xuxa Meneghel teve problemas nesta segunda-feira (05) ao chegar em Teresina, no Piauí. A aeronave precisou fazer um pouso de emergência em Brasília depois de ser atingido por um raio. A própria artista fez um post nas redes sociais para esclarecer o assunto.
“Gente… perdão, não poderei chegar no Piauí. Nosso avião foi atingido por um raio e fizemos um pouso de emergência em Brasília… Desculpa Casa X. Graças a Deus tudo bem com a gente”, disse.
Xuxa estava acompanhada de Junno Andrade, da empresária e de um sócio da Casa X. Xuxa iria para uma inauguração da Casa X em Teresina.


Varela Noticias

CERVEJA ARTESANAL DE UMBU É RECEITA DE JOVEM BAIANO DA COMUNIDADE RURAL DE UAUÁ


O umbuzeiro, árvore da caatinga que deu de beber a Antônio Conselheiro agora dá cerveja e chega à primeira edição do Bahia Rural Contemporânea, realizada simultaneamente com a 29ª Feira Internacional da Agropecuária (FENAGRO), trazendo uma grande novidade para o público se deliciar, a Cervejaria Artesanal de Umbu.

Na Cervejaria Artesanal de Umbu, os visitantes tem a oportunidade de adquirir, degustar, além de conhecer o processo de produção artesanal da Saison Umbu, da Cooperativa de Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (Coopercuc), localizada no município de Uauá, semiárido baiano. 

O responsável por um dos maiores destaques do Bahia Rural Contemporânea é o jovem cervejeiro da comunidade tradicional Serra da Besta, município de uauá, Emanuel Messias Almeida. Ele conta que a primeira vez que a cerveja foi fabricada, a cooperativa forneceu somente a polpa. "Não nos contentamos em apenas fornecer a matéria-prima, queríamos mais e buscamos outras alternativas".

Emanuel se capacitou participando de cursos sobre o tema.  "Aprendi sobre a cerveja artesanal e o processo de fabricação. Saí de uauá com a missão de desenvolver a receita de umbu, com estilo saison, e voltei com a missão cumprida. Hoje a cerveja tem matéria-prima e essência baiana".

Até o dia 4 de dezembro, no Parque de Exposições Agropecuárias de Salvador, os visitantes da Cervejaria vão conferir um pequeno espaço de demonstração das agroindústrias da agricultura familiar, que estão sendo implantadas pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) no interior do estado.

Promovido pela SDR, o Bahia Rural Contemporânea vai abrigar, em um mesmo espaço, a VII Feira Baiana da Agricultura Familiar, Economia Solidária e Reforma Agrária (VII FEBAFES), a Feira Tecnológica e o Salão dos Territórios de Identidade da Bahia.


Ascom SDR/Geraldo Jose

STF PODE REVER DECISÃO SOBRE ABORTO.

Resultado de imagem para ABORTO

Num país que aumenta o número de parlamentares conservadores e onde o aborto ainda é um tabu, a Câmara dos Deputados mostrou que pretende trabalhar para rever a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), o qual considerou que aborto até os três meses não é considerado crime. Na tribuna da Câmara, onde acontecia a votação das dez medidas contra a corrupção, deputados – especialmente os que formam a bancada evangélica – aproveitaram os holofotes para protestar contra o Supremo.

O deputado Evandro Gussi, líder do PV, afirmou que a decisão do STF revoga o Código Penal, que só admite a interrupção da gravidez em caso de estupro e quando a mãe corre risco de morte. “Revogar o Código Penal, como foi feito, trata-se de um grande atentado ao Estado de direito. O aborto é um crime abominável porque ceifa a vida de um inocente”, disse.

Cedendo à pressão de um Congresso de maioria conservadora, e de olho nas eleições para a presidência da Câmara em fevereiro, o presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciou, na mesma noite, a instalação de uma comissão especial no intuito de rever a decisão do Supremo. “Informo ao plenário que eu já tinha conversado desse assunto com alguns líderes que, do meu ponto de vista – e vou exercer o poder da presidência – toda vez que nós entendermos que o Supremo legisla no lugar da Câmara dos Deputados ou do Congresso Nacional, nós deveríamos responder ou ratificando ou retificando a decisão do Supremo, como a de hoje”, disse Maia.

Mas segundo Ivar Hartmann, professor de direito da Fundação Getúlio Vargas no Rio, a Câmara não pode revogar uma decisão do Supremo. “Os deputados podem produzir uma alteração na lei ou na Constituição, mudando aquilo que o Supremo usou como fundamento da sua decisão”, explica. “Mas rever uma decisão do Supremo, eles não podem“.

O voto do ministro Luís Roberto Barroso, que alcançou a maioria dos ministros da primeira turma da corte, é baseado no argumento de que a criminalização do aborto é incompatível com diversos direitos fundamentais. Dentre eles, os direitos sexuais e reprodutivos e a autonomia da mulher, a integridade física e psíquica da gestante e o princípio da igualdade, “já que homens não engravidam e, portanto, a equiparação plena de gênero depende de se respeitar a vontade da mulher nessa matéria“, segundo o voto do ministro.

Hartmann explica que esses princípios usados pelo ministro Barroso fazem parte de cláusulas da Constituição que não podem ser mexidas. “O direito fundamental à liberdade é uma parte da Constituição que não pode ser alterada”, explica. “Os deputados até podem colocar algo no Código Penal que explicite que o aborto é crime mesmo quando praticado nos três primeiros meses da gestação“, diz o professor. Mas, de acordo com ele, o Congresso não poderá mudar os princípios argumentativos utilizados pelo ministro Barroso.

PEC disfarçada

A contraofensiva da Câmara foi imediata à decisão no STF. A comissão de deputados foi criada já na madrugada da quarta-feira (30/11), durante a sessão na Casa. Será composta de 33 membros que discutirão a PEC 58/2011, que na verdade trata de ampliar a licença-maternidade para mães de bebês prematuros. Originalmente, o texto dessa Proposta não menciona nada sobre a criminalização do aborto. Mas, como a discussão sobre o tema foi levantada pela decisão do Supremo, os deputados aproveitarão essa comissão para apresentar uma emenda ou substitutivo para essa proposta que trate do assunto. É o que se chama de ‘jabuti’, quando um tema estranho à proposta original, é inserido num projeto de modo que possa passar longe dos holofotes.

O professor Ivar Hartmann ressalta que o legislador não poderá decidir se dá ou não o direito ao aborto para as mulheres. “Isso faz parte de garantias mínimas que o legislador não tem competência para retirar das pessoas. Especialmente quando se fala de proteção a minorias, e as mulheres no Brasil formam um grupo historicamente reprimido ou que tiveram acessos negados a bens da sociedade“, diz. “E inclusive a falta de representatividade do Congresso é um motivo a mais para que o Supremo proteja as mulheres“.

Mas essa não é a única ofensiva do Congresso à descriminalização do aborto. Uma discussão recente foi sobre o PL 5069, que dificulta o atendimento a vítimas de abuso sexual, colocando, inclusive, a prescrição da pílula do dia seguinte em xeque. O projeto tramitou no ano passado e sofreu forte reação nas ruas. Foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, mas não foi a votação no plenário. Como esse, mais de 30 projetos tramitam sobre o assunto. Mais da metade deles preveem endurecer a punição para o aborto, segundo levantamento realizado pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Congresso x Supremo

Essa não é a primeira vez que o Supremo toma uma decisão de cunho progressista e o Congresso tenta retroceder depois. Em 2011, os ministros do STF aprovaram, por unanimidade, que as uniões homoafetivas deveriam ter os mesmos direitos que uniões heterossexuais. Desde então, casais homossexuais têm direitos como herança, benefícios da Previdência, inclusão como dependentes em plano de saúde e adoção, dentre outros direitos. Mas, desde 2013 tramita na Câmara o chamado Estatuto da Família, que define como entidade familiar apenas o “núcleo social formado a partir da união entre um homem e uma mulher, por meio de casamento ou união estável ou ainda por comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes”. Ou seja, exclui por completo a possibilidade de união entre pessoas do mesmo sexo perante à lei.

Foi no Supremo também que se decidiu, em 2012, que aborto de fetos sem cérebro (anencéfalos) não é crime. Na época, deputados também foram à tribuna incomodados com a “intromissão” do STF na legislatura. “O que ocorre nesse julgamento, mais uma vez, lamentavelmente, em função do ativismo judicial que o Supremo vem praticando, é uma usurpação de competência. Essa matéria é de competência do Parlamento e não do Judiciário”, criticou o deputado João Campos (PSDB-GO), então presidente da Frente Parlamentar Evangélica.


Apesar das contraofensivas, o Supremo continua debatendo temas tabus para a sociedade brasileira enquanto o Congresso se opõe. Na semana que vem, está marcada no STF o julgamento da ação que pede a liberação do aborto em gestantes infectadas pelo vírus da zika. A questão ganhou importância desde o ano passado, quando o Brasil viveu um surto da doença que pode causar microcefalia em bebês. Na época, a ONU chegou a defender o acesso ao aborto nos países atingidos pela doença. (fonte: El País/foto: Fernando Frazão)

Carlos Britto

FORÇA-TAREFA DA OPERAÇÃO LAVA JATO LEVA PRÊMIO ANTICORRUPÇÃO DE ONG INTERNACIONAL

Força-tarefa da Operação Lava Jato leva prêmio anticorrupção de ONG internacional

A força-tarefa da Operação Lava Jato ganhou o Prêmio Anticorrupção de 2016, da Transparência Internacional, uma das principais ONGs contra a corrupção. O anúncio foi feito neste sábado (3). "Bilhões de dólares foram perdidos para a corrupção no Brasil, e os brasileiros já tiveram o suficiente da corrupção que está devastando seu país. A força-tarefa está fazendo um grande trabalho para garantir que os corruptos, por mais poderosos que sejam, sejam responsabilizados e que a justiça seja atendida", justificou Merces de Freitas, presidente do Comitê Internacional de Proibição da Corrupção da Transparência. De acordo com O Globo, a Transparência Internacional destacou o período de atuação da Lava Jato - desde abril de 2014 - e que a entidade está satisfeita em premiar os promotores brasileiros. Por meio de nota, o procurador Deltan Dallagnol afirmou que a premiação é mais um sinal de reconhecimento da comunidade internacional acerca da legitimidade das investigações, o que encoraja a força-tarefa. "Não só o povo brasileiro, mas também o mundo está de olho no que vai acontecer em nosso país", destacou. De acordo com dados do Ministério Público Federal, até o momento a Operação Lava Jato já fez 54 acusações criminais contra 250 pessoas; houve 118 condenações que totalizam 1.256 naos de prisão. O valor recuperando chegou a R$ 3,1 bilhões.

Bahia Noticias