FESTA DOS VAQUEIROS

FESTA DOS VAQUEIROS
FESTA DOS VAQUEIROS CHORROCHO-BA

domingo, agosto 30, 2015

PMDB TERÁ CANDIDATO A PREFEITO EM BELÉM DO SÃO FRANCISCO-PE


Depois de 28 anos, o PMDB – Partido do Movimento Democrático Brasileiro, volta a ser dirigido no município de Belém do São Francisco pelo advogado e ex-candidato a prefeito pelo partido em 1982, Tadeu Sá, sendo que desta feita, como presidente da Comissão Provisória, caberá a ele a tarefa de tirar o partido do ostracismo que se encontra, formando seu novo diretório municipal e ao mesmo tempo, lançando uma campanha de novas filiações com vistas a apresentar candidato a prefeito, vice-prefeito e vereadores para o pleito de 2016.

A nova comissão provisória ficou acertada após encontro de Tadeu Sá e sua esposa, Denise Alencar, com o ex-governador de Pernambuco e hoje deputado Federal, Jarbas Vasconcelos, encontro que aconteceu no escritório politico do deputado, na Ilha do Leite, em Recife, sendo que na parte da tarde, Tadeu e Denise, foram recebidos pelo vice-governador, Raul Henri.

Nos dois encontros, muito se conversou sobre fatos passados, o momento que o município vive, sendo que o advogado deixou bem claro aos dois políticos a situação de crise que Belém vive, bem como a questão das ilhas, local que Jarbas Vasconcelos conhece bastante, pois sem a regularização quanto à sua propriedade, estão estas praticamente abandonadas, sem capacidade de produzir e consequentemente sem gerar riqueza como no passado.

Na ocasião o ex-governador Jarbas Vasconcelos falou sobre um projeto bancado pelo Estado de Pernambuco para as ilhas, segundo ele a apedido do ex-deputado federal, Osvaldo Coelho, projeto que segundo afirmou, trata de estradas e interligação destas com a cidade. O deputado prometeu desengavetar o projeto e cobrar soluções, além de ter garantido uma visita em breve ao município.

Pelo PMDB, Tadeu Sá, em 1982, foi o primeiro candidato do partido. Sua chapa elegeu três, dos nove vereadores do município: Alípio Nogueira, Lazáro Cabloco e Américo Junior.

ANTIGO PMDB:

Pelos registros da história recente, o PMDB sucede o antigo MDB, sendo que o partido foi fundado a nível nacional em 1980. Em igual período, ante a extinção do MDB municipal, coube a Tadeu Sá, Odi Alencar e tantos outros amigos, fundar o PMDB no município, e já nas eleições de 1982, ainda sob o efeito brutal do regime militar e do partido antagonista, o PDS, o PMDB lançou o advogado Tadeu Sá, como candidato a prefeito, tendo companheiro de chapa o hoje falecido, Gabriel Nogueira e mais doze candidatos a vereadores. Mesmo em época difícil, sem o apoio de qualquer esfera de poder, sem dinheiro e contra uma elite abastada e então poderosa politicamente, o partido elegeu para a câmara de nove, três vereadores, Alípio Nogueira, Américo Junior e Lázaro Caboclo, um fato histórico para a ocasião, pois nas eleições posteriores, duas delas com o médico, Dr. Adriano Marques, filho do então vereador Eurípedes Carvalho, uma com o advogado Henrique Marcula e a primeira do ex-prefeito, Aníbal Roriz, o PMDB apenas conseguiu eleger dois vereadores em cada uma destas eleições, uma perca significativa para partido, que somente veio a ter dias melhores na eleição de 2000, quando da vitória do prefeito Aníbal Roriz, já que neste ano conseguiu eleger quatro vereadores, suplantando com isso o número de vereadores eleitos pela chapa de Tadeu. De lá para cá o partido literalmente sucumbiu no município, embora até pouco tempo atrás tivesse uma comissão provisória.

Pelo PMDB, Tadeu Sá, em 1982, foi o primeiro candidato do partido. Sua chapa elegeu três, dos nove vereadores do município: Alípio Nogueira, Lazáro Cabloco e Américo Junior.
Pelo PMDB, Tadeu Sá, em 1982, foi o primeiro candidato do partido. Sua chapa elegeu três, dos nove vereadores do município: Alípio Nogueira, Lazáro Cabloco e Américo Junior.

OPOSIÇÃO:

Segundo Tadeu Sá, o partido renasce agora como antigamente, imbuído do firme propósito de fazer oposição aos tradicionais e incompetentes governantes que sucessivamente vem administrando a terra em marcha ré. Para Tadeu, um só grupo familiar domina tudo e em consequência a politica local, feita por primos, parentes bem próximos entre si, pais, filhos e tios, não têm compromissos com os mais necessitados, que como que combinados para se perpetuarem no poder, não fizeram e nada fazem para recuperar o tempo perdido, o progresso que existiu um dia e a baixa estima que se abate sobre à população que só tem um caminho, ir embora em busca de meios para de sobreviver.

Para Tadeu, ao longo dos anos de desgovernos aconteceu e acontece de tudo, cortes por inadimplência no fornecimento de energia elétrica da prefeitura e outros órgãos públicos, educação no fundo do poço, comprometimento da saúde da população a ponto das nossas mães terem que parir na cidade de Floresta ou Salgueiro, obras federais e estaduais sem perspectiva de conclusão, desperdício incomum de receitas, município atolado em dividas impagáveis, falta de compromissos com coisas mais elementares como os salários dos funcionários e fornecedores, que são exibidos pelas redes sociais cobrando débitos de forma pública, acintosa e desmoralizante, pior gestão fiscal do Brasil, sucessivas contas rejeitadas, ruas completamente submersas em lixos e entulhos, esburacadas e com meios fios completamente arrebentados, e o mais lamentável, quem se intitula oposição não cobra, não fala nada, temem todos perderem os espaços conquistados com a política e calam-se covardemente, deixando a população indefesa, a mercê da indignação. “Belém não pode mais continuar convivendo com este modo de governo que foi implantado a mais de meio século por uma só família, sem ouvir os reclames do povo”, diz Tadeu.

Governada a mais de meio século por uma só família, Belém regride cruelmente e se não houver mudanças o futuro de seus filhos será mais incerto ainda.
Governada a mais de meio século por uma só família, Belém regride cruelmente e se não houver mudanças o futuro de seus filhos será mais incerto ainda.

CANDIDATURAS:

Perguntado a Tadeu Sá, se será ou não candidato a prefeito, ele responde que não pode ser candidato de si próprio. “O Candidato a prefeito pelo PMDB e consequentemente pela nova oposição de Belém, será fruto de um debate profundo com a sociedade”. “Ter ideias fixas de candidatura pessoal, por conta própria, é coisa de ditador”. “O povo é quem vai escolher a pessoa que melhor possa representar a oposição frente não só ao prefeito Gustavo Caribé, mas também a própria família Lustosa, que estão aí há mais de meio século, mas que os resultados apresentados nada mais representam que uma cidade degradada e degradada de forma espantosa”.


Para Tadeu Sá, “O candidato pode ser qualquer um, basta apenas que reúna em torno de si a confiança perdida pelo povo belemita”. Pode ser eu, Tadeu, pode ser uma pessoa da zona rural, da ilha. Pode ser uma pessoa da periferia, uma pessoa humilde, pode ser um homem, uma mulher. Enfim, pode ser qualquer um, desde que tenha coragem para enfrentá-los, de chamá-los para o debate, de mostrar os desmandos, que tenha coragem de fazer frente ao que está aí, ao que macula nosso passado, mancha nosso orgulho e principalmente, afronta nossa gente sofrida.

Fonte: Blog Tadeu Sá

Nenhum comentário: