FESTA DOS VAQUEIROS

FESTA DOS VAQUEIROS
FESTA DOS VAQUEIROS CHORROCHO-BA

domingo, novembro 24, 2013

ENQUANTO A PRESIDENTE DILMA ANUNCIA A PRORROGAÇÃO DO MINHA CASA MINHA VIDA, EM BELÉM CONTEMPLADOS CONTINUAM SEM SUAS CASAS E SEM SOLUÇÃO DE VIDA.

Dona --- e sua mãe com 76 anos entre a realidade da casa de taipa e o sonho da casa própria que nunca vem.

Enquanto a presidente Dilma disse em discurso realizado na quarta feira passada, durante a abertura da 5ª Conferência Nacional das Cidades que o Palácio do Planalto quer a continuidade do programa Minha Casa Minha Vida, “independentemente do que ocorra em 2014″, inclusive negando que a entrega de unidades habitacionais seja “esmola”, em Belém do São Francisco acontece justamente o contrario, as chaves das casas foram entregues sem que haja condições de moradia e os beneficiários com isso estão preocupados correndo atrás de quem resolva as questões relativas às conclusões.

Pois bem, todos sabem que o programa minha casa até agora produziu poucos efeitos no nosso município, pois enquanto Chorrochó construiu cerca de 700 destas unidades habitacionais, em Belém do São Francisco apenas uma centenas destas casas foram edificadas nos últimos 8 anos e mesmo assim 48 delas não estão da forma como deveria ser, embora a obra se arraste por quase quatro anos, e o pior é que as pias e bacias sanitárias já colocadas estão sendo roubadas por meliantes.

Moradores mostram que além de uma série de coisas que faltam,  as portas estão por pintar.

Moradores mostram que além de uma série de coisas que faltam,  as portas estão por pintar.
Moradores mostram que além de uma série de coisas que faltam, as portas estão por pintar.
O caso diz respeito à vila que fica ao lado do cemitério, pois as 48 casas ali existente, mesmo com a entrega das chaves aos futuros moradores não possibilita estas a mínima condição de uso já que em muitas falta energia, pias e bacias sanitárias, ao passo que outras encontram-se  com enormes rachaduras e sendo assim os moradores não conseguem realizar seus sonhos de adentrarem nestas, de forma que vários projetos de vida vão sendo irresponsavelmente postergados, como é o caso da senhora Lucicleide Maria Pereira Ribeiro que ali reside com sua mãe de 76 e ansiosamente aguardam mudar de casa.

Revoltados com a situação, pois alega que não tem mais a quem reclamar, um grupo de moradores entrou em contato com a TV Grande, canal de televisão com sede na cidade de Petrolina e outros veículos de comunicação da região e denunciaram o descaso, de modo que todos estiveram no local e presenciaram o absurdo que acontece, inclusive o canal de televisão reportou o caso no NETV.

Dona Cleonice, sem casa e sem perspectiva de ter.

Dona --- e sua mãe com 76 anos entre a realidade da casa de taipa e o sonho da casa própria que nunca vem.
Dona Maria do Patrocínio, de 76 anos,e sua filha entre a realidade da casa de taipa e o sonho da casa própria que nunca vem.
O mais lamentável neste episódio é que dias destes anunciou-se em um programa de uma das rádios da cidade a entrega destas casas e quando indagada a uma senhora beneficiaria que ali se encontrava, se estava satisfeita com a entrega, esta respondeu dizendo: “Estou satisfeita, mas não sei quando vou morar nela e a chave que me entregaram não e da fechadura da casa que me pertence”.

Esta situação é completamente absurda, sendo que muitos dos beneficiários alegam que trabalharem por alguns dias na construção, sendo que outros sem tempo tiveram que contratar um servente, e mais indecentemente ainda é que o responsável pela obra ameaça processar todos que afirmarem esta situação, o que vem preocupando muita gente.

“Isto não vai acontecer”, diz o advogado Tadeu Sá, “Quem for o responsável pela construção é que vai ter que se justificar na justiça, não é possível que o povo pague por esta irresponsabilidade”, disse.

Ainda como medida a tomar, Tadeu Sá informou que irá com uma comissão de moradores até a presença do Ministério Público, onde denunciará o fato, e que logo a seguir será endereçada uma carta a Presidente Dilma relatando tudo que acontece, pedindo inclusive uma solução para o problema, além de procurar também a Caixa Econômica neste mesmo sentido.

“Sinceramente não consigo entender o porquê desta situação e nenhuma providência é tomada, de modo que o povo, como agora acontece, por não mais ter a quem recorrer procura a imprensa para que esta denuncie o caso, um verdadeiro absurdo”, complementou Tadeu Sá.


Fonte: blog tadeu sá,Escrito por Maria Rita.


Nenhum comentário: