FESTA DOS VAQUEIROS

FESTA DOS VAQUEIROS
FESTA DOS VAQUEIROS CHORROCHO-BA

sexta-feira, outubro 02, 2015

EDUARDO CUNHA É PRESSIONADO POR PARLAMENTARES A DAR EXPLICAÇÕES, VAI CAIR TAMBEM.


Presidente da Câmara estava sendo investigado desde abril na Suíça.
“Não vou responder nada que não seja pelo meu advogado”, disse Cunha.
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, foi pressionado por parlamentares a dar explicações sobre as contas encontradas na Suíça. Segundo os investigadores, as contas são controladas por ele.

 Cunha teve duas chances nesta quinta (1º) para falar sobre as contas bancárias descobertas pelo Ministério Público da Suíça.
"O presidente Eduardo Cunha tem ou não tem contas na Suíça sob investigação do Ministério Público de lá, como nos comunica o Ministério Público do Brasil? Será que esse assunto vai ficar abafado aqui na Câmara dos Deputados do Brasil, que não pertence individualmente a nenhum de nós, por mais visibilidade e poder que tenha? Não será, não será respondid?", questionou o deputado Chico Alencar (PSOL/RJ), líder do partido na Câmara.

Os jornalistas também perguntaram. “Eu não vou responder nada que não seja pelo meu advogado”, declarou o deputado Eduardo Cunha (PMDB/RJ), presidente da Câmara.
Na Suíça, ele estava sendo investigado, desde abril, por suspeita de lavagem de dinheiro e corrupção passiva. A investigação já foi transferida para o Brasil. A Procuradoria-Geral da República informou que as contas estão bloqueadas.
Nas declaração de bens que o presidente da Câmara apresentou ao Tribunal Superior Eleitoral, essas contas na Suíça não foram informadas.
A atitude do presidente, agora, é muito diferente de quando ele foi à CPI da Petrobras, em março, sem nem ter sido convocado, porque o nome dele estava na lista de políticos com indícios de envolvimento no esquema de corrupção. Na sessão, Cunha falou por uma hora e negou ter contas não declaradas.

"Não tenho nenhum tipo de conta em qualquer lugar que não seja a conta que está declarada no meu Imposto de Renda e não recebi qualquer vantagem lícita ou qualquer vantagem com relação a qualquer natureza vinda desse processo", disse em 12 de março deste ano.
A situação de Cunha nesses seis meses mudou: ele foi denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro na Operação Lava Jato. Falta o Supremo Tribunal Federal decidir se o deputado vai virar réu.

Um grupo de 15 deputados de cinco partidos (Rede, PSOL, PSB, PT e PMDB) fez um requerimento pedindo formalmente informações ao presidente da Câmara. Eles querem saber se Cunha tem mesmo contas na Suíça, se as contas estão na declaração de Imposto de Renda e se ele sabe que omitir informações desse tipo, segundo os deputados, é atitude que fere o decoro parlamentar.
“O presidente, ao longo desse tempo todo, vem dizendo que a investigação contra ele é uma armação do governo brasileiro. Agora é hora de ele responder: o que falar sobre a investigação do Ministério Público suíço? Seria uma perseguição do governo suíço contra ele também?”, perguntou o deputado Alessandro Molon (Rede Sustentabilidade/RJ).

O líder do PMDB, partido de Eduardo Cunha, disse que é preciso ter cautela nesse momento. “As investigações têm transcorrido naturalmente, devem transcorrer naturalmente, devem  ser céleres, porque é de interesse de todos que seja célere, mas vamos respeitar a presunção da inocência”, declarou o deputado Leonardo Picciani, líder do PMDB na Câmara.
A quebra de decoro é motivo para a perda de mandato e é necessário que algum parlamentar entre com um pedido de investigação no Conselho de Ética ou na Corregedoria da Câmara.


O advogado do deputado Eduardo Cunha, Antônio Fernando de Souza, não atendeu às nossas ligações na quinta-feira (1º). Na quarta (30), quando as contas na Suíça foram reveladas, ele disse que desconhecia qualquer investigação naquele país contra o deputado e que, por isso, está impedido de comentar as suspeitas.

Fonte:G1

Nenhum comentário: