FESTA DOS VAQUEIROS

FESTA DOS VAQUEIROS
FESTA DOS VAQUEIROS CHORROCHO-BA

quarta-feira, janeiro 20, 2016

GEDDEL VIEIRA ESTA ENVOLVIDO NA LAVA JATO "ATE O TALO"


Troca de mensagens com o ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, indicam que o presidente estadual do PMDB, Geddel Vieira Lima, atuou na Caixa Econômica Federal, – da qual foi vice-presidente entre 2011 e 2013 – na Secretaria da Aviação Civil da Presidência, e junto à prefeitura de Salvador para atender interesses da construtora. Segundo informações do jornal O Globo, Geddel também fez pedidos de recursos à empreiteira destinados a aliados no interior na Bahia e para sua candidatura ao Senado em 2014. Geddel também pediu emprego na empresa para um diretor da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), autarquia do Ministério da Integração Nacional, que havia sido demitido três meses antes. As mensagens aparecem em um relatório da Polícia Federal, encontradas em dois celulares apreendidos de Pinheiro, que foi preso na 7ª etapa da Operação Lava Jato. “Geddel aparece em algumas oportunidades solicitando valores para Léo Pinheiro, em especial relacionado ao termo ‘eleição’ e outros apoios. Já Léo Pinheiro demonstra ver em Geddel um agente político que pode ajudar na relação da OAS com órgãos e bancos (Caixa, por exemplo)”, diz a PF.

Em um dos recados, em 19 de abril de 2013, o peemedebista trata da Transolímpica, via expressa em construção no Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos 2016. “Amigo, aquele assunto da Transolímpica, questão da trava domicilio/notificação da nossa parte tá solucionado. Mandei o pessoal enviar uma minuta e se concessionária der ok, já liberamos os 30 abs”, afirma Geddel, em mensagem reproduzida por Pinheiro a outro interlocutor. O consórcio responsável pela obra é composto pela Invepar (33,4%), braço que reúne investimentos em infraestrutura da OAS; Odebrecht (33,3%); e CCR (33,3%). Na prefeitura de Salvador, o objeto do contato era o empreendimento Costa España, da OAS Empreendimentos. “Não esqueça daquela oportunidade para concluirmos aquela conversa sobre o Costa Espanha. Estou precisando definir o tema”.

Nosso amigo GVL [Geddel] pede para vc ligar para Luis. Teve com o baixinho e está liberado o Costa Espanha [novo]”. Ao Globo, Geddel confirmou ter discutido com o prefeito ACM Neto para tratar do empreendimento. “Não lembro exatamente o que tratei com o prefeito, acho que era uma ciclovia que queriam fazer na frente do Costa España”, afirmou. Em entrevista ao Globo, ele afirmou que chegou a cogitar comprar um apartamento no edifício. "Cheguei a pensar em comprar um apartamento. Um irmão comprou". Em outra mensagem, em outubro de 2012, Geddel pediu doações para um candidato em Vitória da Conquista. Pinheiro acatou a solicitação, mas, de acordo com O Globo, fez a ressalva de que o então governador Jaques Wagner (apelidado de Compositor) atuava na região. Já fora da Caixa a partir de dezembro de 2013, Geddel concorreu ao Senado no ano seguinte. “A coisa apertou, me ajude”, disse à Pinheiro, completando depois: “Eduardo me falou que vc disse a ele que Otto virou a eleição? Não acredite tão cegamente no lero lero do judeu. Eu ganho a eleição, aposte nisso”. Em entrevista a O Globo, Geddel também confirmou ter atendido Léo Pinheiro na Caixa, quando era vice-presidente de Pessoa Jurídica. "Claro que o atendi. Ele era um grande empresário brasileiro. Eu fazia isso com todos. Quem me procurava era um empresário como qualquer outro. Minhas coisas foram feitas às claras. Eu não estava conversando ou fazendo pedidos a um criminoso, estava conversando com um grande empresário brasileiro, meu amigo.


A Polícia Federal não tinha dito que era criminoso, ninguém havia levantando algum tipo de suspeita". Junto à Secretaria da Aviação Civil, a atuação de Geddel foi direcionada a participação de concessionárias de aeroportos em outros leilões, a pedido de Pinheiro. Segundo O Globo, a autorização foi concedida em setembro de 2013, mas Geddel já comunicou o fato ao empreiteiro em julho. “Martelo batido: pode participar. Aí está mensagem que acabo de receber de MF (Moreira Franco). Me disse ele que solução nos contempla. Parabéns”. Antes, nas mensagens, o vice da Caixa criticava Dilma, chamada por ele de “tia”. “Soube que a tia fechou questão nisso, lero de monopólio etc. Estou pressionando muito, a tia tá muito dura”. Em entrevista ao Globo ele confirmou a intermediação. "Havia uma forte disputa interna no governo. Defendi uma tese de que aquele modelo limitava a concorrência. Foi natural atender Léo Pinheiro. Havia outros interesses, como da Odebrecht. Hoje tudo isso vira crime. Ele é um amigo da Bahia, de políticos baianos. Qual o sentido de uma empresa ter ganhado o aeroporto de Cumbica e não poder participar do Galeão? A lógica é de que isso inibia a concorrência. É claro que hoje tem o fato de ele ter sido preso. Antes ele era empresário, e eu tinha de tratar com todo mundo, com empresário, com jornalista, com puta, com viado... Era coisa absolutamente natural", pontuou.

BN

Nenhum comentário: